III Encontro Integrado de Iniciação Científica e Extensão - de 13 a 15/10/2004 - Rolândia-PR
Faculdade Paranaense - FACCAR


Análise e Interpretação do Poema

Roselene de Fátima Galera (Faculdade Paranaense)
Nadia Maria Garbulha (Faculdade Paranaense)

Rosemeri Passos Baltazar Machado - Orientador (FACCAR)

Curso de Letras

Palavras-chave: Polissemias, Metáforas, Leitura

O presente artigo tem como objetivo fazer uma análise da música “Cálice”, de Chico Buarque, contextualizando-a historicamente com o momento político pelo qual passava o país na época em que ela foi composta. A forma da composição também será trabalhada, visto que tanto conteúdo quanto forma são fatores que interferem diretamente no texto. O refrão da música merece atenção especial, pois estabelece intertextualidade com um texto da bíblia. Mostrar a importância da intertextualidade e como ela contribui para a significação do texto lido é também um dos objetivos deste artigo. A ditadura, apesar de ser um momento político negro na história do Brasil e dos indivíduos que compunham a sociedade da época, foi extremamente fértil no que diz respeito às manifestações artísticas, principalmente no que se refere à música. Mensagens implícitas em textos que, a primeira vista se mostravam ingênuos, auxiliaram os brasileiros na compreensão do momento vivido e na luta contra a cassação dos seus direitos civis. O eu-lírico desta música refere-se à época da ditadura, da indignação em relação à situação na qual se encontrava o país, onde era proibida qualquer manifestação pública contra o governo, onde a liberdade de expressão era praticamente inexistente. Polissemias, metáforas, comparações são apenas alguns dos muitos recursos usados por Chico Buarque na composição das músicas que fazem parte do seu momento de poeta/político. Ao contrário de agora, onde a maioria dos textos traz sua mensagem de forma explícita, não exigindo do leitor uma leitura em um nível mais aprofundado, as músicas da época da ditadura, se não servem mais como estandarte de uma luta a favor da liberdade, servem como escola para a análise, interpretação e verificação a respeito da arte de escrever com competência.