Faculdade Paranaense | FACCAR. Ensino Superior é Faculdade Paranaense

Curta a Página da FACCAR no Facebook Siga a FACCAR no Twitter Adicione o Perfil da FACCAR no Google+

Voltar para Página Anterior

VII Empreend-Marketing - 2016

EMPREEND-MARKETING 2016 - A IMPORTÂNCIA DO EMPREENDEDORISMO E DAS TÉCNICAS DE MARKETING COMO ESTRATÉGIA EM TEMPOS DE CRISE

O evento anual EMPREEND-MARKETING (Empreendedorismo e Marketing) da Faculdade Paranaense - FACCAR, na edição de 2016, dirige os jovens empreendedores do curso de administração com o desafio de mostrar suas ideias de negócios.

 

Nesta 7ª. edição, os empreendedores irão apresentar seus produtos e serviços, que compõe o portfólio comercial das empresas. Para isso, foi necessário contar com uma base conceitual sólida, adquirida durante o curso e ainda usar a criatividade que é uma competência essencial para o empreendedor de sucesso.

 

Como novidade no 7° EMPREEND-MARKETING teremos a participação do curso de TADS. Os acadêmicos do curso de TADS apresentam a RÁDIO MATRIX que fará a veiculação e divulgação dos comerciais das empresas expositoras, além do Projeto de Coleta de Lixo Eletrônico, cuja arrecadação será doada à E-Lixo de Londrina.

 

As edições anteriores focaram os conceitos de empreendedorismo, atitudes pertinentes ao empreendedor e a importância da utilização das ferramentas de marketing para o sucesso de qualquer negócio. Nesta edição, o foco é o processo empreendedor em momentos de adversidade. A crise instalada no país, considerada uma das maiores já vividas pelos brasileiros, é o assunto em pauta.

 

Nesse escopo, o adjetivo mais usado pelos especialistas para descrever o ano de 2016 foi: Difícil. Esse adjetivo foi utilizado pelos especialistas ouvidos em uma pesquisa realizada pela revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios: “Para os empreendedores, muitas das perspectivas traçadas em 2015 para o ano de 2016 se confirmaram”. Nenhum ano desde o início do Plano Real foi tão desfavorável quanto 2016. “E boa parte dessas características persistirão nos próximos anos”, diz Marcelo Nakagawa, professor de empreendedorismo do Insper.

 

Mesmo diante desse cenário, as oportunidades ainda existem e muitos escolheram ser empreendedores em 2016. “Precisamos de empreendedores que mostrem o verdadeiro papel que os negócios podem ter na construção de um país com iguais oportunidades para todos”, diz Maure Pessanha, diretora-executiva da Artemísia.

 

Para Alessandro Saade, professor da BSP - Business School São Paulo, é preciso estar preparado para conseguir ter sucesso nos próximos anos. “O importante é ter um bom plano estratégico e uma gestão impecável. Monte um CANVAS, converse com pessoas, pesquise e crie seu plano de marketing e um excelente plano estratégico de ação”, afirma.

 

Empreender sempre vale a pena desde que se entenda a essência do verdadeiro significado do que é empreender. Peter Drucker, talvez o mais respeitado analista do mundo dos negócios de todos os tempos, foi enfático ao afirmar em seu livro Empreendedorismo e Inovação: “Um casal que abre um restaurante não está empreendendo. O que eles estão fazendo já é feito há muitos anos. McDonald’s, por outro lado (goste ou não da empresa), é um exemplo de empreendedorismo. Ao aplicar técnicas de padronização, inovou em processos e qualidade, criando um novo mercado, um novo nicho dentro do segmento. E hoje tem muitos adeptos e concorrentes”.

 

Essa é a principal mensagem a ser entendida: empreender não é apenas abrir um novo negócio. Nunca foi. Empreender é ser visionário, ter iniciativa, saber identificar oportunidades e estabelecer soluções inovadoras.

 

E como estamos falando de empreendedorismo e crise, vale a pena citar um pouco da origem da palavra crise só para conhecimento. A palavra “crise” chegou ao português no século XVIII, a princípio no vocabulário da medicina, para designar o momento na evolução de uma doença em que ela se define entre o agravamento – e a morte – ou a cura – e a vida. O vocábulo vinha do latim “crisis”, “momento decisivo”, decalque do grego “krísis”, “decisão”, que Hipócrates, chamado de “pai da medicina”, já empregava com esse sentido. (A ideia de decisão, de separar o bom do ruim, explica que o crítico de arte seja chamado assim).

 

De todo modo, a lenda etimológica que acompanha a crise como uma sombra, não se relaciona ao vocábulo português, que tem uma história bem clara, e sim ao termo chinês correspondente a ele. Quase todo mundo já ouviu essa história, um mito contemporâneo especialmente caro a empresários e consultores, pois crise sempre pode deixar prejuízos: o chinês “weiji”, “crise”, seria um ideograma formado pela junção de dois outros – um negativo, “perigo” (wei), e um positivo, “oportunidade, ocasião propícia” (ji), conforme dicionário Houaiss. Ou seja, cabe a cada um dos empreendedores “pegar o limão e fazer uma limonada”, pois é essa a tarefa dos que se submetem a empreender.

 

Mas cabe lembrar de que todas, absolutamente todas, as crises (sejam grandes ou pequenas) trazem algum perigo ou oportunidade para o mundo dos negócios. Quando se encontra uma melhor solução (por isso inovadora), muito provavelmente está diante de uma oportunidade. Assim, se for empreender hoje ou em qualquer época, identifique os perigos que sejam reais, emergenciais e não tão bem resolvidos e vislumbre uma solução (muito) melhor, inovadora e vantajosa.

 

Mas empreender um negócio próprio nunca foi fácil. Como já é sabido por muitos, estatisticamente, mais de um terço das empresas morre em menos de dois anos e mais da metade, em cinco anos. Na crise econômica aguda em que vivemos, a taxa de mortalidade de novos negócios (e negócios existentes) deve aumentar. Porém, considerando apenas as condições (horríveis) de mercado, tem sucesso as mais inovadoras e mais preparadas.

 

E contrariando os dados negativos, os números do empreendedorismo vêm se mostrando bem mais positivos do que o esperado. Praticamente quatro em cada dez brasileiros adultos já possuem um negócio ou estão envolvidos com a criação de uma empresa. Este é o dado revelado pela mais recente pesquisa GEM (Global Entrepreneurship Monitor), realizada em 2015 e patrocinada pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) no Brasil.

 

No ano passado, a taxa de empreendedorismo no país foi de 39,3% segundo o estudo, o maior índice dos últimos 14 anos, e quase o dobro do registrado em 2002, quando era de 20,9%.

 

O estudo também revela que 56% dos empreendedores que estão criando ou já abriram uma empresa identificaram uma oportunidade, mesmo neste período de crise. Esse número sofreu uma queda em relação aos últimos anos e voltou ao mesmo patamar de 2007, quando a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa entrou em vigor. Conforme o presidente do SEBRAE Guilherm Afif Domingos, "Com a melhoria do ambiente legal no Brasil, presenciamos um boom no empreendedorismo. O aumento de incentivos influenciou o forte crescimento do empreendedorismo por oportunidade, que pode ter voltado a um patamar mais equilibrado quando comparado com o empreendedorismo por necessidade".

 

A pesquisa GEM (Global Entrepreneurship Monitor) é parte do projeto Global Entrepreneurship Monitor, iniciado em 1999 com uma parceria entre a London Business School e a Babson College, abrangendo dez países no primeiro ano.

 

Conforme dados da agência Sebrae, desde então, quase cem países se associaram ao projeto, que constitui o maior estudo em andamento sobre o empreendedorismo no mundo. No Brasil, a pesquisa foi realizada entre os meses de setembro e novembro de 2015 e entrevistou duas mil pessoas entre 18 e 64 anos de todas as regiões do país, e 74 especialistas em empreendedorismo.

 

A Babson College está atuando em nossa região com projetos de empreendedorismo através de parcerias com IES (Instituição de Ensino Superior) em Londrina, Curitiba entre outras cidades do estado do Paraná.

 

É com base em todos esses fatos e dados que a FACCAR se preocupa em mostrar aos seus alunos que o processo empreendedor é importante para o crescimento profissional e pessoal e, há sete anos vem realizando o evento Empreend-Marketing, visando desenvolver o perfil empreendedor dos estudantes e envolver a comunidade, sendo uma forma de alavancar a economia local. Neste contexto, a educação empreendedora contribui com o processo ao formar indivíduos diferenciados, com habilidades capazes de potencializar seu desempenho no mercado de trabalho.

 

Com o objetivo de aplicar o conceito de educação empreendedora, aprendido em sala de aula, apresentam-se as empresas e os produtos criados e desenvolvidos pelo projeto interdisciplinar Empreend-Marketing, que além da feira, tem como meta, estimular uma educação que mantém o foco nos profissionais a serem formados com características empreendedoras, o que de certa forma, torna-se de extrema relevância, uma vez que a sociedade impõe constantemente desafios similares no mercado de trabalho.

 

As escolas não devem somente formar indivíduos que possam ser “empregáveis”, devem acima de tudo proporcionar uma formação ao aluno, que seja capaz de fazê-lo desenvolver competências como: criatividade, inovação e ainda aproveitar oportunidades, fazendo-o pensar e refletir sobre as atuais necessidades de mercado e criar soluções para elas.

 

Portanto, o importante nos processos educacionais não é o que se aprende e sim, como se aprende. É por isso que em empreendedorismo devem-se enfatizar estudos no desenvolvimento de como o conceito é aprendido, o qual deve considerar autonomia, autoconfiança, perseverança, determinação, criatividade, flexibilidade, liderança, entre outras habilidades que envolvam o desenvolvimento pessoal, gerencial e técnico dos alunos e futuros empreendedores.

 

Para o enfrentamento das crises é fundamental conhecer as ferramentas disponíveis, e assim como obter os conhecimentos sobre a educação empreendedora. É crucial que se tenha os conhecimentos sobre o marketing empreendedor. Esse termo ainda relativamente novo, abordado em poucas obras, tem-se definições ainda não tão bem consolidadas. O que se encontra ao revisar a literatura é uma diversidade de obras que tratam de empreendedorismo e de marketing de forma isolada, sendo que um dos termos que mais se aproxima é o tipo de marketing criativo que, segundo Costa (2003, p. 68) “[...] é aquele voltado para descobrir novos produtos”..

 

Mas apesar das poucas literaturas de forma específica sobre o marketing empreendedor e bom se ter noção dos conceitos já existentes.

 

O que Empreendedorismo tem a ver com Marketing?

O marketing empreendedor surgiu como reação às dificuldades de aplicação das noções tradicionais de marketing a realidade dos pequenos negócios, e se torna bastante abrangente a medida que associa conceitos de marketing e de empreendedorismo, duas áreas básicas para administração de qualquer negócio/empresa. E ao associar esses conceitos o gestor assume as características necessárias para um perfil empreendedor, ou seja, criatividade, intuição, bom uso de sua rede de relacionamentos e experiência profissional.

 

Tanto a educação empreendedora quanto o marketing empreendedor são muito úteis e importantes ao sucesso dos negócios atuais e dos futuros empreendedores. Pois, quem tem o empreendedorismo pulsando nas artérias, deve estar sempre por dentro de todas as fórmulas, técnicas e procedimentos usados pelos grandes campeões do mercado, especialmente em sua fase inicial de operações. Novas técnicas sempre vão surgir, e todas elas focadas em aproveitar melhor as oportunidades e minimizar os perigos, tendo crise ou não. Gigantes como Facebook, Apple, Dropbox entre outros, se consolidaram em seus segmentos, sendo criativos e inovadores e sempre focados em seus negócios, estando atentos e buscando minimizar qualquer custo que sejam desnecessários.

 

Portanto, um bom empreendedor está sempre em uma busca incansável por boas oportunidades de negócio, onde possa aproveitar o mercado com produtos ou serviços que sejam altamente ou minimamente viáveis e aceitáveis pelo seu público alvo. Mas para isso, além de muita intuição, vai precisar de técnicas. Técnicas que são aprendidas na sala de aula e na prática do exercício diário de empreender, sendo o mais diferente e inovador possível para que possa alcançar o tão almejado sucesso em seus negócios.

 

É desta forma, que o projeto interdisciplinar EMPREEND-MARKETING tem o objetivo de propiciar a todos os acadêmicos dos cursos da FACCAR envolvidos, conhecimentos de empreendedorismo e marketing aprendidos em sala de aula, e conhecimentos estes, que poderão fazer a diferença para os atuais alunos e futuros profissionais, que irão atuar nos mercados com crise ou sem crise, mas que deverão fazer a diferença ao empreenderem o que aprenderam na teoria e também o que colocam em prática ao realizarem a feira com competências técnicas e comportamentais, e tudo focado em um só objetivo esperado por todos: serem empreendedores de sucesso.

 

Não deixe de participar e prestigiar essa 7ª. edição do EMPREEND-MARKETING 2016. A feira vai ser um sucesso e com certeza deverá superar a edição anterior!

 

EMPREEND-MARKETING 2016 – 7ª. Edição DIAS 27 E 28 DE OUTUBRO DE 2016
VENHA PARTICIPAR!!!

 

Rua Dom Pedro II, 400 | Jardim Horácio Cabral | CEP: 86604-160 | Rolândia / PR - Fone/Fax: 43 3255-8500.
Saiba o Horário de Atendimento da FACCAR

© 2006 - 2019 - Todos os direitos Reservados.
Faculdade Paranaense - FACCAR
Rua Dom Pedro II, 400 Rolândia, PR 86604-160